26.3.18

A linha de Austin - André Luis Mansur


Uma linha de trem que ligava a Zona Oeste à Baixada Fluminense foi a Austin, embora muita gente duvide que tenha existido, pelo pouco tempo de existência.

A história começa quando, em 18 de março de 1872, Thomaz Cochrane requereu à Princesa Isabel solicitando a concessão de privilégio para a construção de uma linha férrea, com bitola larga, de Maxambomba (Nova Iguaçu) até o Curato de Santa Cruz.

Os terrenos foram doados e o contrato foi assinado em fevereiro de 1926. As obras começaram em setembro daquele ano, com 34 quilômetros de extensão, e avançaram rápido. Atravessava Nova Iguaçu desde Carlos Sampaio até a ponte do Guandu-Mirim. Foram construídas as estações de Cabuçu (também conhecida como Passa-Vinte), Engenheiro Araripe e Engenheiro Heitor Lira (os dois eram funcionários da EFCB) e o ramal foi inaugurado em 5 de fevereiro de 1929, dentro do prazo estabelecido em contrato.

 A estação de Cabuçu era uma referência ao Engenho do Cabuçu, “que, com o de Marapicu, formavam as duas mais importantes propriedades agrícolas do Morgadio de Marapicu, instituído em 1772, que possuía 200 escravos e produzia anualmente 120 caixas de açúcar e cerca de 45 pipas de aguardente” (A Formação das Estradas de Ferro no Rio de Janeiro, Helio Suêvo Rodriguez).

Curioso observar que ao lado da estação de Cabuçu foi construído um edifício da firma Guinle & Cia para acondicionar 2.400 caixas diárias de laranja para exportação. Na região, havia cerca de um milhão de laranjeiras, caracterizando essa região da Baixada Fluminense, entre outras, como fundamental no auge da produção de laranja em meados do século XX, com bairros da Zona Oeste, como Campo Grande. Havia um entroncamento com o ramal de Mangaratiba no quilômetro 30.

A linha funcionou apenas até 1932 (trecho Santa Cruz-Cabuçu) e, entre Austin e Carlos Sampaio, continuou a operar para trens de serviço até 1948, quando se encerrou.

Era o ano do início da construção da Rodovia Presidente Dutra, a famosa Via Dutra e as rodovias davam o tiro de misericórdia no combalido transporte ferroviário.
André Mansur é Jornalista e Escritor - Escreve ás segundas-feiras na Santa Paciência.

Pesquisa de fotos - Guaraci Rosa.

Mapa do Ramal
Fonte - http://www.trilhosdorio.com.br/forum/viewtopic.php?f=198&t=949

2 comentários:

Julia Santana disse...

Esse lugar tem muita história para contar.

Prof. Adinalzir disse...

Muito grato pela visita, Julia Santana!

Cheiro de mato: odores emitidos pela natureza podem evitar estresse e câncer

Basta uma boa caminhada por uma mata fechada ou no meio de uma floresta para ter certeza do bem estar e da tranquilidade que os ares e...