30.7.09

Medicina de morte

.
Você sabia? Durante o período colonial no Brasil, as técnicas de cura eram quase tão assustadoras quanto as doenças. Sangrias, sacatrapos, cirurgias feitas sem anestesia... Se não morria por causa da doença, o doente corria o risco de não resistir ao tratamento.

Para eventualidades inusitadas, receitas idem: "Quando o bicho ou a cobra entrar no corpo de alguma pessoa que estiver dormindo, o melhor remédio é tomar o fumo (ou seja, fumaça) de solas de sapatos pela boca, por um funil, e o bicho sairá pela parte de baixo. Coisa experimentada", recomendava um livro de curas.


Fumar sapato não deve ser lá muito agradável. Mas quando se está com um bicho no corpo, quem liga para isso?


Fonte: Cotidiano e Vida Privada na América Portuguesa, organizado por Laura de Mello e Souza.
.

Um comentário:

Carol (sua aluna) disse...

Eca, professor! Que texto! Como as pessoas sofriam naquele tempo. E hoje a gente ainda reclama...

Beijos!

Cheiro de mato: odores emitidos pela natureza podem evitar estresse e câncer

Basta uma boa caminhada por uma mata fechada ou no meio de uma floresta para ter certeza do bem estar e da tranquilidade que os ares e...