26.6.11

Cachaça, cultura e prazer do Brasil. Você sabia?

Adicionar imagem
Antigamente, no Brasil, para se ter o melado, os escravos colocavam o caldo da cana-de-açúcar em um tacho e levavam ao fogo. Não podiam parar de mexer até que uma consistência cremosa surgisse. Porém um dia, cansados de tanto mexer e com serviços ainda por terminar, os escravos simplesmente pararam e o melado desandou.

O que fazer então? A saída que encontraram foi guardar o melado longe das vistas do feitor. No dia seguinte, encontraram o melado azedo fermentado. Não pensaram duas vezes e misturaram o tal melado azedo com o novo e levaram os dois ao fogo. Resultado: o "azedo" do melado antigo era álcool que aos poucos foi evaporando e formou no teto do engenho umas goteiras que pingavam constantemente. Era a cachaça já formada que pingava. Daí o nome "Pinga". Quando a pinga batia nas suas costas marcadas com as chibatadas dos feitores ardia muito, por isso deram o nome de "água-ardente".

Caindo em seus rostos escorrendo até a boca, os escravos perceberam que, com a tal goteira, ficavam alegres e com vontade de dançar. E sempre que queriam ficar alegres repetiam o processo.


Fonte: História contada no Museu do Homem do Nordeste.

Não basta somente beber, tem que conhecer!

Quer saber mais sobre o assunto? Clique aqui
.

13 comentários:

LEANDRO CHH disse...

Olá, Professor Adinalzir.
Muito bom o texto! As vezes a história nos surpreende com fatos como este. Das chibatadas à cachaça!
Valeu!
Leandro CHH

José Lima Dias Júnior disse...

Apesar de ser nordestino (Catolé do Rocha-PB). Desconhecia a orgiem etimológica da palavra "aguardente". Eis, um bom motivo para conhecer e ler suas postagens. Valeus Mestre!

Saudações cordiais,
Prof. Lima Júnior

Prof. Adinalzir disse...

Prezado Leandro CHH
É sempre um prazer responder ao seu comentário. Estarei também no seu blog. Muito obrigado pela visita!

Prof. Adinalzir disse...

Meu caro Prof. José Lima Dias Júnior
É isso aí! Cada dia que passa aprendemos um pouquinho mais. Fico muito grato pela visita e comentário.
Um grande abraço!

Professor Josimar disse...

Uma cachacinha pra esquentar nesse frio vai muito bem hein? rsrs. Obrigado pelo seu comentário, fiquei contente com as descobertas que têm sido feitas aí no RJ, mas pelo jeito não estão sendo muito divulgadas, não é? Ou será que eu é quem estou por fora? Abraços, sua visita é sempre muito bem-vinda ao meu blog.

lucidreira disse...

Essa é nossa e ninguém tasca, nós vimos primeiro.
A verdadeira água que passarinho não bebe.
Ps. também coloquei uma historinha lá no Blog do Lu Cidreira sobre ela.
Abraço

Prof. Adinalzir disse...

Prezado Professor Josimar
É claro que uma cachacinha e um chocolate sempre são muito bem vindos nesse frio, mas ambos sempre com muita moderação, rsrs. Quanto as descobertas arqueológicas aqui no RJ, tenho visto pelo jornal O Globo. Abraços e aguarde a minha visita!

Prof. Adinalzir disse...

Meu caro Lucidreira
Do jeito que está o mundo, de repente até passarinho bebe cachaça. E como sempre, a minha passada está garantida nos blogs do lucidreira.
Um grande abraço!

Victor Faria disse...

Olá, professor!
Como de costume, mais um excelente texto!
Abraço!

Leonardo Oliveira disse...

Muito informativo e divertido o post. Parabéns ao SAIBA HISTÓRIA!!!

Prof. Adinalzir disse...

Prezado Victor Faria
E eu como sempre, agradeço mais uma vez pela sua visita e comentário.
Um ótimo domingo!

Prof. Adinalzir disse...

Olá, professor Leonardo Oliveira!
Fico muito grato pela visita. Aguarde em breve a minha visita ao História, Educação e Cultura.
Um fraternal abraço!

sergio disse...

é uma "ESTORIA"
fantasia pura de uma mente criativa. mas que não tem nada de verdade
e que esta postando deveria pesquisar mais, e não postar baboseiras

BlogBlogs.Com.Br