10.12.10

Francisco Freire Alemão: uma vida para a Botânica

.
Quase todos os seus momentos foram dedicados à botânica e à ecologia. É assim que pode ser resumida a vida de Francisco Freire Alemão Cisneiros.

Nascido na Fazenda do Mendanha, no Rio de Janeiro, em 24 de junho de 1797. Formou-se médico pela Academia Médico-Cirúrgica do Rio de Janeiro e doutorou-se em Medicina pela Universidade de Paris, defendendo a tese sobre o uso do iodo contra a "papeira". Voltando ao Brasil, foi professor de botânica médica e zoologia em instituições de ensino superior como a Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro e a Escola Central Militar. Presidente duas vezes da Academia Imperial de Medicina e fundou em 1850 a breve Sociedade Velosiana de Ciências Naturais para estudos da botânica.

Membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e autor de dezenas de publicações e desenhos sobre plantas brasileiras, descrevendo muitas plantas novas. Contribuiu para a notável obra de raridade de Von Martius – Minervas Brasiliensis, escrevendo em latim. Integrou a comissão científica que fez a exploração do Ceará (Comissão das Borboletas).

A Comissão Científica de Exploração, como foi chamada, foi um dos marcos para a afirmação de uma ciência nacional, compreendida como ciência feita por brasileiros, a fim de conhecer os temas brasileiros. Idealizada pelo Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro para explorar as riquezas naturais do Ceará e logo chamada por seus críticos de Comissão das Borboletas, compunha-se de Freire Alemão, Guilherme Capanema, Manuel Ferreira Lagos, Giacomo Raja Gabaglia, o poeta Antônio Gonçalves Dias e o pintor José dos Reis Carvalho.

Acampamento da Comissão Científica de Exploração, gravura de autoria de José dos Reis Carvalho

Como botânico, priorizou os estudos das madeiras nobres que poderiam ser usadas na construção naval, classificando espécies e criando gêneros novos de espécimes botânicos da flora brasileira. Buscou reconhecimento junto aos estudiosos da história natural no Brasil e aos botânicos europeus como Carl Friedrich von Martius, Michele Tenore, Achilles Richard, Friedrich Ernst Ludwig von Fischer, entre outros. Para reconstruir sua atuação no cenário científico brasileiro, tomamos como fontes os documentos da Coleção Freire Alemão, as biografias e as anotações autobiográficas do botânico, juntamente com obras de história das ciências e especialmente, da botânica.

Recebeu condecorações de "Oficial da Ordem das Rosas" e "Cavalheiro de Cristo". Foi comissionado para ir à Itália buscar Teresa Cristina, noiva do Imperador D. Pedro II. E depois de percorrer quase todo o Brasil em missões científicas, depois de desempenhar as mais elevadas funções públicas, voltou ao seu velho sítio do Mendanha, herança de seus pais: João Freire Alemão e dona Feliciana Angélica do Espírito Santo. Lá passou seus últimos anos de vida, falecendo deste modo no mesmo local de seu nascimento em 11 de novembro de 1874.

Saiba mais sobre o Mendanha e Freire Alemão em:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Mendanha_%28bairro_do_Rio_de_Janeiro%29
http://www.genealogiafreire.com.br/genealogia.htm
http://www.portaldosfarmacos.ccs.ufrj.br/perfis_freire.html
http://www.dichistoriasaude.coc.fiocruz.br/iah/P/verbetes/cisfranfrei.htm
http://bndigital.bn.br/redememoria/freirealemao.html
.

10 comentários:

Victor Faria disse...

Obrigado por mais esta aula, Prof. Adinalzir.
É sempre muito bom vir aqui e me deparar com novas informações e personalidades da nossa maravilhosa história.
Tenha um ótimo final de semana! Abraço!

José Lima Dias Júnior disse...

Prof. Adinalzir,

A cada visita que faço em seu blog, me deparo com uma grata surpresa.

Saudações cordiais,

Prof. Lima Júnior

Prof. Adinalzir disse...

Prezado Victor Faria
É muito bom contar com a sua visita por aqui. Suas sempre valiosas considerações me animam a continuar.
Um ótimo final de semana para você também e um grande abraço!

Prof. Adinalzir disse...

Prezado Prof. José Dias Lima Júnior
Agradeço de coração seu comentário e esteja certo de que receberá sempre gratas surpresas aqui no Saiba História. Um grande abraço! :)

André Luis Mansur disse...

Excelente texto sobre o grande Freire Alemão, um nome dos mais importantes da botânica mundial e nascido na zona oeste carioca, embora muita gente da própria região não saiba. Grande abraço!

Prof. Adinalzir disse...

Prezado André Luis Mansur
Fico muito honrado com sua visita. Infelizmente, muitos vultos importantes da nossa região não são ainda conhecidos pela maioria dos moradores. E divulgar essa história tem sido um dos objetivos deste blog.
Um grande abraço e um ótimo Natal!

Gilberto José Muniz disse...

Caro Prof. Adinalzir. Parabens por sua contribuição à história. Sou Presidente da Associação Cultural da Zona Oeste - ACZO e o projeto atual é a criação do Museu de Campo Grande. Como forma de contornar a falta de recursos, pensamos em começãr como "eco museu", espondo um bonde artesanal, encomendado ao artesão Getúlio Domado, no Largo do Rio da Prata, C. Gde, RJ. Encomendarei pintura à óleo do bonde de manutenção, para se consdtituir e peça do acervo, entre outros.
Será preciso formar acervo sobre Freire Alemão, podemos manter contato nesse sentido?
Muito obrigado

Prof. Adinalzir disse...

Prezado Gilberto José Muniz
Estarei a sua disposição quando for preciso. Conte comigo.
Abraços e muito obrigado pela visita!

Ronald disse...

Caro Professor,

- uma informação: foi lançado no final de setembro pela Fundação Waldemar de Alcântara, de Fortaleza-CE, o livro DIÁRIO DE FRANCISCO FREIRE ALEMÃO, relativo ao período da Comissão das Borboletas;
- caso já tenha conhecimento, valeu a intenção.
Ronald Fontenele

Anônimo disse...

Oi Adinalzir. Acabo de encontrar seu blog por acaso e adorei. Muito interessante a vida do Freire Alemão. Espero algum dia poder visitar a casa onde ele morou. Um grande abraço obrigado por tudo. Mario

BlogBlogs.Com.Br