30.4.10

A História está de luto

.
Transcrevo aqui as palavras do amigo Bruno Leal Maia, fundador e Moderador do Café História. Realmente, essa foi uma perda irreparável.

"A semana foi de luto para historiadores no Rio de Janeiro e em todo o Brasil. Na última terça-feira, dia 27 de abril, morreu o historiador Manoel Luiz Salgado Guimarães, professor da UERJ, da UFRJ e ex-presidente da ANPUH Nacional.


Profissional ético e talentoso, Manoel dedicou sua vida à história, dando importantes contribuições ao campo da historiografia brasileira. Fez seus estudos no Rio de Janeiro, Berlim e Paris. Como professor, foi sempre muito atencioso, sempre interessado na construções de pontes e diálogos entre a história acadêmica e a história dita popular. Sua morte precoce deixa saudades em colegas, familiares e alunos.


A história, com certeza, perdeu muito neste 27 de Abril. Por isso, dedicamos todas as atualizações do Café História ao professor Manoel Luiz e aos novos historiadores, na esperança que possam continuar desenvolvendo à altura o campo dos estudos históricos.


Um abraço fraternal a todos."

.

9 comentários:

Prof. Adinalzir disse...

Um dos principais nomes dos estudos historiográficos no Brasil, o trabalho de Manoel Salgado foi uma referência não só para os professores e pesquisadores da área, mas também para todos os profissionais que se dedicam aos problemas da memória e da cultura histórica. Que Deus o tenha!

Stella disse...

Os respeitos dos historiadores de Belo Horizonte, Minas gerais, ao Grande Mestre Manuel Salgado.

A família perde um ente querido, a História perde um grande exemplo!...

lucidreira disse...

Apesar de não ter conhecido o prof. Manoel Salgado, deixo minhas condolencia ao mundo da História e familiares.
Que deus o coloque no lugar que ele merece.

Prof. Adinalzir disse...

Prezada Stella

Não cheguei a conhecer o Manoel Salgado, mas tinha um profundo respeito por seu trabalho. Era um grande exemplo no meio acadêmco e também fora dele.

Muito obrigado pela visita!

Prof. Adinalzir disse...

Meu caro Lucidreira

Quando um homem morre, é como se uma biblioteca inteira fosse destruída. E, dependendo do grau de conhecimento desse homem, é que poderemos determinar o número de livros que ela tem.

No caso de um historiador como o Manoel Salgado, esse estrago é maior ainda. Portanto, cabe a nós historiadores, resgatar sempre essas historias que se vão...

Um grande abraço e te agradeço pela visita! :-)

valy disse...

Pronto ... votei!
Sucesso na corrida para ganhar o grande prêmio!
Um excelente dia que você quiser!

Prof. Adinalzir disse...

Prezado Valy

Muito obrigado pelo seu voto e pela sua visita. Volte sempre!

Abraços,

Marcos Vinicius disse...

Como eu já trabalhei como prestador de serviços em alguns laboratórios da UFRJ, apesar de eu ser da área de Ciências, eu ouvia muito falar do Manoel Salgado por causa dos comentários de alguns alunos na época sobre ele e também de seus trabalhos.

Nós, professores, somos como uma safra, que a escola seleciona, através de concursos, ou por currículos, e que deixamos para os nossos alunos nossos ensinamentos para serem levados para a vida.

Pelo que eu li, esse professor que está agora lá em cima, junto a outros excelentes profissionais do ensino, deve ter sido uma das melhores safras na educação.

Prof. Adinalzir disse...

Caro Marcos Vinicius

Eu também não conheci o Prof. Manoel Salgado pessoalmente, mas através do relato dos meus colegas e em publicações.

Considero uma grande perda, foi como se o conhecimento humano tivesse perdido uma grande biblioteca.

Agradeço o seu comentário e a sua oportuna e sempre agradável visita. Um grande abraço!

BlogBlogs.Com.Br