28.12.07

Um pouco da vida de Anália Franco

Anália Franco (Resende 10/02/1853 – São Paulo 20/01/1919). Educadora e escritora, foi um exemplo de vocação bem direcionada e de completo êxito. Filha de Teresa Emília de Jesus e Antônio Mariano Franco Júnior, casou-se com Francisco Antônio Bastos em 1906. Estudou inicialmente em Resende, onde nasceu e cresceu sob orientação de sua mãe, professora. Em 1861, transferiu-se com a família para São Paulo, onde foi matriculada na escola dirigida pela mãe, tendo se formado como professora, aos quinze anos, em 1868. Em 1876, ela e a mãe mudaram-se para Guaratinguetá, onde lecionaram, e, posteriormente, para Jacareí. Em 1877, Anália volta à Capital para completar seus estudos normalistas, fomando-se em 1878 na Escola Normal.

Depois de sua formatura, em 1878, sua vida foi de trabalho, fundando abrigos para órfãos, asilos, colônias regeneradoras, creches e escolas maternais em que aplicou seus próprios métodos de educação e ensino. Contemporaneamente colaborou, de forma bastante ativa, em revistas feministas, como A Mensageira, A Família e O Eco das Damas. Além de escrever para estas revistas literárias, criou também a sua própria revista: o Álbum das Meninas. Revista Literária e Educativa Dedicada às Jovens Brasileiras, cuja edição iniciou em 1898 e onde publicou a maior parte de seus contos e romances.

Profundamente religiosa, optou pelo Espiritismo - fé que dividia com o marido, com quem trabalhou em várias obras espíritas. Fundou mais de setenta escolas e mais de uma vintena de asilos para crianças órfãs. Na cidade de São Paulo, fundou uma importante instituição de auxílio a mulheres e a região, antes afastada do centro, é hoje o Jardim Anália Franco. Em 1919, Anália Franco morreu de gripe espanhola, doença que vitimou tanta gente nessa época.

Bibliografia

MONTEIRO, Eduardo Carvalho. Anália Franco - a grande dama da educação brasileira. São Paulo: Madras, 2004.


COMENTÁRIO: Realmente, Anália Franco foi uma mulher fantástica e pouco conhecida, que salvou muitas crianças de morrerem abandonadas, criando escolas, educando e desafiando a sociedade brasileira da época. Este texto foi publicado por sugestão de Antonio Barbosa Nunes. Meus parabéns e um feliz 2008 ao nosso leitor!

4 comentários:

Anônimo disse...

Meu amigo Adinalzir, gostei do seu blog, estou começando a divulgar o espiritismo mas sou leigo em blog, se puder me dar umas dicas, faça nos uma visita:
http://espiritismoparatodos.blogspot.com

Nandinha disse...

Frequento um Centro Espirita, em que um dia meus professores falaram sobre essa mulher fantastica que foi Analia Franco.e gostei muito de saber mais sobre a vida dela.Tenho 11 anos e gosto muito de pesquisar sobre pessoas que ajudaram as outras.
Adorei esse blog

Prof. Adinalzir disse...

Valeu, Nandinha pela visita!

Sempre será um prazer dialogar com uma menina tão jovem, inteligente e sensível como você. E melhor ainda, que gosta de História. Quero ver as postagens no seu blog... Irei ser um leitor fiel.
Meus parabéns pela iniciativa!
Beijos

Anônimo disse...

Caro Professor.
Tenho um site desde 2005 que conta a história do futebol e do bairro da Água Rasa.
Na historia do bairro conto a participação da Dona Anália Franco e também como começou com o Lar Anália Franco nas dependências do Solar do Regente Feijó no bairro da Água Rasa em São Paulo.
Muito bonita sua história como Educadora (ex-professora) e como ajudou aos filhos de jornaleiros, prostitutas e mães solteiras.
Com o espiritismo dava alento aos menos favorecidos e sempre procurou ensinar o bem a todos que a procurassem.
Infelizmente faleceu com a famosa crime espanhola que dizimou grande parte da população do mundo.
Parabéns pelo seu blog.
Waldevir Bernardo.
Site www.boleirosdaaguarasa.com
Clique em história do bairro - recordações e veja a história da Dona Anália Franco.

BlogBlogs.Com.Br