9.4.07

Intimidade com a web

Como a Internet pode tornar as aulas mais dinâmicas e interessantes

Desde a década passada, vivemos mergulhados na era da Internet. Não é mais possível ignorar as ferramentas da tecnologia colocadas à disposição de todos, inclusive dos docentes. Ao contrário, quanto mais intimidade o professor tiver com os recursos da tecnologia e da Internet, mais facilidade terá para desenvolver o conteúdo didático junto aos alunos. Os jovens são grandes usuários da rede mundial de computadores, ainda que seja basicamente para diversão. Cabe aos professores destacar o outro lado: mostrar aos alunos como a Internet pode ser útil para a aprendizagem.

Para Ariovaldo Folino Júnior, diretor do departamento de Educação a Distância da Uninove (Centro Universitário Nove de Julho), o uso da Internet na relação docente-aluno aproxima, exige participação responsável e propiciou a quebra de fronteiras. A um professor que ainda não faz uso desse tipo de ferramenta, o professor Ariovaldo recomenda que a primeira coisa que ele deve fazer é se tornar aluno de um curso baseado na Internet. "Dessa forma, ele vai perceber como pode usar isso", afirma. "Logo que a Internet surgiu, muitos professores começaram a criar a sua home page, a trocar e-mails com os alunos, em ambiente aberto", relembra. Segundo ele, esse cenário foi evoluindo e hoje os alunos conquistaram mais interatividade, ao trocarem mais informações entre eles, em fóruns de debates acadêmicos ou em outras instâncias.

Ele destaca que o que se observa hoje é que, ao contrário do que se costumava dizer na década passada, na Internet tem muita coisa boa. "Ao contrário do que alguns pessimistas quiseram prever, ao invés de diminuir o papel do professor, a Internet exige muito mais dele: ao responder e-mails, participar de fóruns, de salas de bate-papo, o professor acaba congregando não só alunos da sua própria instituição de ensino, como de outras instituições e de outros estados brasileiros. Essa troca de experiências entre alunos de diferentes locais enriquece o aprendizado", analisa.

"Teorias tem várias", afirma, "mas o melhor mesmo é sentir de perto essa mudança de paradigma. Ao participar de uma palestra virtual, sala de bate-papo, o docente vai sentir necessidade de postar uma mensagem. Isso vai tocá-lo a ponto de fazê-lo perceber que essas ferramentas podem enriquecer a aula dele também", discorre. O professor acredita que o ideal é que a atividade docente seja presencial e virtual ao mesmo tempo.

Dessa forma, o professor consegue manter a sua aula ativa não apenas uma vez por semana, mas durante toda a semana, já que as discussões podem acontecer no espaço virtual. O professor Ariovaldo atua há cinco anos com EAD. No princípio, ele relata que a idéia ganhou força na área tecnológica. Mas ao longo do tempo foi comprovando que as demais também estavam aptas a usar essas ferramentas. "Qual é o mercado profissional que não troca e-mails hoje em dia?", questiona. "O jovem já vem alfabetizado desde o mundo dos games. Conversar com alguém do outro lado do mundo na rede mundial de computadores é algo que não assusta mais o aluno", analisa. Na Uninove, de acordo com ele, desde que começou o EAD, os tutores nas salas de aula foram sensibilizados a empregar essas comunicações nas aulas presenciais. "Diversos cursos, tanto na graduação quanto na pós-graduação, adotam EAD na Uninove", explica.

Veio para ficar

A tese de doutorado do professor Fernando Modesto, do departamento de Biblioteconomia e Documentação da ECA-USP (Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo), partiu do princípio de que a Internet veio para ficar nas universidades e bibliotecas. O professor Modesto analisou o ambiente acadêmico paulista na UNESP, UNICAMP e USP, quanto às mudanças geradas pelo uso da Internet e, conseqüentemente, influindo em novos comportamentos e desempenhos de bibliotecários e docentes/pesquisadores. "Particularmente, acredito que a Internet é uma ferramenta que facilita muito o trabalho do docente, na graduação, na pós e na pesquisa. Tenho meu site da disciplina, deixo ali à disposição dos alunos os programas, as apostilas, as bibliografias e o material de apoio, sempre atualizados ", relata.

"Outro recurso interessante é o blog", aponta. Professor Modesto destaca que a ferramenta pode ser usada como uma forma de integração com os alunos. "Apliquei em uma disciplina. À medida em que eles iam produzindo seus trabalhos, cada um ia marcando suas experiências no blog coletivo, colocando as suas opiniões. E eu podia acompanhar o desenvolvimento de todo o grupo, a participação, a integração, o trabalho cooperativo e a formação de redes sociais", comenta. Os alunos identificaram os interesses comuns, e os trabalhos que tinham algum elo iam naturalmente se integrando.

O recurso de VoIP (voz sobre IP - Internet Protocol -, o mesmo sistema usado em softwares como o Skype, por exemplo), também é apontado pelo professor como útil, principalmente nos casos de orientação de TCC ou de dissertações de pós-graduação. "Quem tem computador, sem gastar muito, pode usar esses programas de comunicação, aliados a uma webcam. Isso facilita o aluno a manter um contato muito mais próximo com o professor, promove uma interatividade interessante. A comunicação a distância ajuda a construir os seus saberes", diz.

A tecnologia, na opinião do professor Modesto, dá condições interessantes para que os docentes possam desenvolver sua prática de ensino e de pesquisa. "É um processo que vem crescendo, mas muitos professores são resistentes à tecnologia por não saberem operar, por não terem tempo para esse aprendizado", analisa. "Na própria pesquisa, detectei que os docentes da área de Exatas e Biológicas são mais abertos ao uso dessas ferramentas, por conta da formação e do foco de interesse. Os de Humanas não encontram tanto conforto nessa prática", aponta.

Mais flexibilidade

Um outro tipo de serviço que tem se popularizado entre docentes é o que possibilita a criação de Salas de Aulas Virtuais. Atualmente, o Universia disponibiliza um serviço desta natureza, o Salas Virtuais (www.universia.com.br/salasvirtuais), desenvolvido pelo TelEduc, da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Uma das vantagens da Sala Virtual é sua facilidade de uso. Não é preciso ter conhecimentos de tecnologia para criar uma Sala Virtual. Segundo Guilherme Zillig, analista de programa de formação da Faculdade IBTA e usuário das salas virtuais do Universia desde 2005, o ambiente é seguro e intuitivo. "No início, usávamos a sala para fazer um link com o nosso ambiente de estudo a distância. O aluno se cadastrava e podia acessar materiais complementares indicados pelo professor. Agora, na sala virtual é muito mais fácil subir conteúdo, dá mais flexibilidade para o aluno se inteirar com a turma", elogia. Guilherme é responsável pelo design instrucional, ou seja, ele modela como vai ser uma aula no ambiente EAD.

A Faculdade IBTA aprovou tanto esse modelo, que até mesmo as reuniões de professores passaram para o ambiente virtual. "Basta copiar tudo o que foi discutido no chat e a ata é gerada automaticamente", completa Zillig. O material de apoio fica disponível on-line e os coordenadores de curso e professores podem ser convidados. A reunião tem horário para começar e acabar e costuma ser muito produtiva e objetiva.

A Sala de Aula Virtual, por ser um ambiente, fechado, protegido, também conta com um perfil de professores e alunos, que Guilherme chama de "miniorkut". "Os alunos gostam muito, eles passam a conhecer colegas nas disciplinas comuns em cursos diferentes. Dessa forma, evitamos o maior mal do estudo a distância, que é a solidão", relata. Hoje, todos os 270 professores da graduação da IBTA, além dos cerca de 50 da pós-graduação podem participar das Salas Virtuais e são estimulados a isso. Eles hospedam o conteúdo das aulas em pastas e o aluno pode baixar as apostilas, exercícios e gabaritos diretamente da web. "Na minha opinião, a integração e a facilidade de acesso ao material de apoio são as maiores vantagens desse sistema", diz.

Retrato do discurso coletivo

Outra possibilidade é o uso de softwares específicos, desenvolvidos para uso de pesquisadores e docentes, como o QualiQuantiSoft. Em pesquisas de opinião pública, a fim de se obter um retrato do discurso coletivo, existem várias maneiras de agrupar as respostas dos entrevistados. Mas a hesitação dos pesquisadores diante de uma variedade de respostas e sobre qual ação tomar levou os professores Fernando Lefevre e Ana Maria Cavalcanti Lefevre, da FSP/USP (Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo), a desenvolverem o software. Lançada há quase três anos, a ferramenta sistematiza as opiniões obtidas em pesquisas do DSC (discurso do sujeito coletivo). O software também pode ser usado para obter o grau de satisfação dos alunos com um determinado curso.

"O software, junto com essa metodologia, tem sido usado para fazer avaliação docente, ele é muito útil para isso, ele dá uma percepção muito detalhada dos alunos, um feedback importante", informa o professor Lefevre. Ele acrescenta que o software tem grande aplicabilidade nas áreas de Educação, Treinamento e Capacitação. "Embora tenha sido desenvolvido na área de Saúde Pública, é um método bem amplo", classifica. O software foi desenvolvido pela USP em parceria com uma empresa privada, que comercializa o produto em várias versões, com preços que variam de R$ 300,00 a R$ 2.200,00.

A conclusão é que a tecnologia abre infinitas possibilidades ao ensino. Cabe ao professor escolher uma com a qual ele se adapte melhor. Ainda não se sabe aonde esse processo vai chegar. O que se sabe, porém, é que desde já o ensino e a pesquisa estão muito mais motivantes e interativos......
Por Silvia Angerami.

2 comentários:

Anônimo disse...

Taí gostei! Um belo texto. O que comprova como o uso das novas tecnologias é um importante instrumento para a educação e o professor.

Fer disse...

Olá,
Foi lançado recentemente um PABX capaz de integrar-se ao SKYPE, permitindo que telefones comuns possam fazer chamadas para contatos SKYPE ou para outros telefones através da rede SKYPE. As chamadas podem ser realizadas, atendidas, colocadas em espera, transferidas de forma extamente igual as da rede de telefonia convencional. O custo é muito baixo e se paga rápido, rápido.
Veja: www.safesoft.com.br/pabx/

BlogBlogs.Com.Br